AMI Consultório - Amigo da Amamentação

A Iniciativa Consultório Amigo da Amamentação (ICAM), no Brasil, é uma proposta idealizada pelos Pediatras Dr. Moisés Chenciski e Dr. Marcus Renato de Carvalho e apoiada pela Sociedade Brasileira de Pediatria, no qual visa apoio ao Aleitamento Materno. Segundo estes profissionais, a ICAM, é uma forma de acolher e informar Mães e Pais que, com regularidade visitam os profissionais de saúde, principalmente o médico pediatra. Ressaltam a importância de que todos profissionais envolvidos na promoção do Aleitamento Materno estejam preparados para orientar, prevenir e auxiliar no diagnóstico e solução de problemas de Amamentação.

A ICAM é uma proposta que pode e deve ser assumida não só por Pediatras, mas também por Obstetras, Odontopediatras, Fonoaudiólogos, Nutricionistas, Enfermeiras e todas as categorias que acompanham, com regularidade ou eventualmente, lactantes e lactentes. A Clínica Plenittá Saúde, juntamente com o Portal AMI – Aconselhamento Materno Infantil se orgulham em apoiar e se candidatar a Consultório Amigo da Amamentação com as profissionais Dra. Camila Rodrigues Cury, CRM: 12359; Dra. Rebeca Yuri Rodrigues, CRM: 14360 e Fonoaudióloga e Consultora em Aleitamento Materno Taniara de Souza Cunha, CRFª 5 15508-2.

A Clínica Plenittá conta com uma Equipe Multiprofissional voltada para o cuidado materno infantil e é constituída por Fonoaudiólogo, Nutricionista, Enfermeiro, Doula, Psicólogo, Terapeuta Ocupacional, Odontopediatra e Pediatra, todos voltados para um olhar respeitoso e humanizado às mulheres que amamentam ou desejam amamentar.

Munidos de ideais semelhantes aos dos nossos colegas Pediatras, Dr. Marcus e Dr. Moises, a Equipe AMI se propõe a cumprir as recomendações e implementações de modificações nos seus consultórios para ser considerada uma Clínica com Consultórios Amigos da Amamentação. Desta forma, seguimos com muito orgulho os 10 passos para ser ICAM, conforme Documento Científico nº8, Agosto de 2018:

1. Ter uma política (norma) de promoção, proteção e apoio ao aleitamento que seja do conhecimento de todos que trabalham no consultório;

2. Contar com profissionais capacitados e atualizados periodicamente em manejo clínico da lactação e nas habilidades de aconselhamento;

3. Realizar ou incentivar consulta com pediatra no início do último trimestre da gestação, acompanhada de familiares próximos, dando ênfase ao aleitamento materno;

4. Informar sobre a importância do parto normal, clampeamento tardio do cordão umbilical, contato pele a pele, imediatamente após o parto, amamentação na sala de parto, amamentação em livre demanda e alojamento conjunto;

5. Observar uma mamada completa na primeira consulta e sempre que necessário, ratificar as recomendações sobre aleitamento materno exclusivo até o 6º mês, e complementado até dois (2) anos ou mais, com introdução de alimentos saudáveis em tempo oportuno e desmame natural;

6. Informar às mães e seus familiares próximos sobre a extração e doação de leite materno desde as primeiras consultas e como manter a amamentação após o retorno ao trabalho ;

7. Indicar, quando necessário, profissionais capacitados em aleitamento materno (enfermagem, nutrição, fonoaudiologia, odontopediatria, psicologia entre outros…), bem como grupos de apoio éticos;

8. Estimular a amamentação na sala de espera e na sala de consulta, mas fornecer espaço privado, caso seja solicitado;

9. Não receber fórmulas infantis, mamadeiras, chupetas e intermediários de silicone de representantes de indústrias e não promover a distribuição de fórmulas, brindes ou materiais informativos das empresas;

10. Conhecer e divulgar ações relacionadas à promoção, proteção e apoio ao Aleitamento Materno/Agosto Dourado, direitos da mulher que amamenta, leis que protegem a amamentação em público, e oferecer fontes de consulta oficiais, reconhecidas e éticas.

Camila Rodrigues Cury
Pediatra/CRM:12359

Rebeca Yuri Rodrigues
Pediatra/CRM:1360

Taniara de Souza Cunha
Fonoaudióloga/CRFª5 15508 – 2

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
WhatsApp chat